sexta-feira, 30 de março de 2012

O que é bullying?

Bullying é uma situação que se caracteriza por agressões intencionais, verbais ou físicas, feitas de maneira repetitiva, por um ou mais alunos contra um ou mais colegas. O termo bullying tem origem na palavra inglesa bully, que significa valentão, brigão. Mesmo sem uma denominação em português, é entendido como ameaça, tirania, opressão, intimidação, humilhação e maltrato.

"É uma das formas de violência que mais cresce no mundo", afirma Cléo Fante, educadora e autora do livro Fenômeno Bullying: Como Prevenir a Violência nas Escolas e Educar para a Paz (224 págs., Ed. Verus, tel. (19) 4009-6868 ). Segundo a especialista, o bullying pode ocorrer em qualquer contexto social, como escolas, universidades, famílias, vizinhança e locais de trabalho. O que, à primeira vista, pode parecer um simples apelido inofensivo pode afetar emocional e fisicamente o alvo da ofensa.

Além de um possível isolamento ou queda do rendimento escolar, crianças e adolescentes que passam por humilhações racistas, difamatórias ou separatistas podesm apresentar doenças psicossomáticas e sofrer de algum tipo de trauma que influencie traços da personalidade. Em alguns casos extremos, o bullying chega a afetar o estado emocional do jovem de tal maneira que ele opte por soluções trágicas, como o suicídio.
http://revistaescola.abril.com.br/crianca-e-adolescente/comportamento/bullying-escola-494973.shtml

ESCOLA DA VIDA

 Fundada pelo filósofo Alain de Botton e prestes a abrir suas portas por aqui, essa escola leva para a sala de aula assuntos do cotidiano e sentimentos como frustração, angústia e desejos.

Um dos maiores medos na vida do estudante é fazer provas. Um momento tenso, cheio de exigências. Para ter sucesso, é necessário calma e ter estudado antes. Por maior que seja o esforço, sempre falta alguma coisa, sempre fica uma dúvida. E, de repente, o aluno se vê frente a frente com um espaço em branco que exige ser preenchido. Não é à toa que muitas pessoas sofrem do famoso "branco", um esquecimento repentino motivado pelo nervosismo.

Normalmente, em uma prova escolar precisamos responder quais foram as causas econômicas da Segunda Guerra Mundial, a solução para questões matemáticas, a velocidade de um trem ao chegar a uma cidade desconhecida. Na teoria, a escola está nos preparando para a vida. Mas que tipo de vida? Basicamente, para uma vida de trabalho. Mas e o resto? E as decepções, as dificuldades, os grandes desafios que estão para além da porta do escritório? Como podemos nos preparar para as provas diárias da vida?

E se, em vez de tudo isso, a escola perguntasse a seu aluno: "Existe algo que você sempre sonhou em fazer? Por que não fez?" Melhor: e se essa questão não estivesse numa prova e sim fosse um assunto de conversa livre com o professor. Ainda mais inimaginável: e se as dúvidas dos alunos fossem o tema de aula, palestra ou café?

Desde setembro de 2008, 50 mil pessoas passaram por uma escola capaz de responder à pergunta acima. Aliás, a situação descrita é realidade na Escola da Vida (The School of Life), um centro de aprendizado em Londres fundado para trazer de volta à escola quem ainda mantém viva sua fome por conhecimento. A questão acima existe de fato e está no "menu de conversas" de um café da manhã promovido pelo lugar.

São oferecidos cursos, palestras, refeições com conversa, experiências de fim de semana e até sermões dominicais, voltados à "realização pessoal" e a uma "vida melhor", conforme descreve o material oficial. "Todos nascemos com um desejo inato de juntar conhecimento, mais do que isso, conhecimento sobre nós mesmos. O que mata essa fome é a maneira tradicional pela qual as escolas e as universidades ensinam as pessoas. A maioria das escolas ensina coisas inúteis e deixa de ensinar o mais importante: autoconfiança, como lidar com os relacionamentos e pensamento estratégico", afirma Alain de Botton, filósofo suíço e um dos fundadores da escola.

http://educarparacrescer.abril.com.br/aprendizagem/escola-vida-678319.shtml

quinta-feira, 29 de março de 2012

Suco com frutas da memória

Frutas como a maçã, presente neste suco, ajudam a fortalecer a memória. 

ingredientes

  • 1 laranja ou ½ copo de suco de laranja
  • 1 maçã com casca
  • 6 morangos

modo de preparo

Higienize bem todas as frutas, pique e bata tudo no liquidificador com um pouco de água e gelo.
Rendimento: 2 copos
Sugestão: Pode acrescentar outras frutas com as mesmas propriedades, como o kiwi e a uva.
Propriedades nutricionais: As frutas são ricas em fisetina, um fitoquímico que pode atuar beneficamente na memória.
http://www.receitas.com/globoreporter

 

ESPECIALISTA EXPLICA QUAL É A MELHOR FORMA DE COMEÇAR A CORRER

Um corre-corre contra o tempo: assim é o dia a dia da fisioterapeuta Daniela Bicalho. Em tempos de agenda cheia, ela vive correndo entre uma paciente e outra. Ela está fora de forma, e o desejo é conseguir engrenar mesmo em outro tipo de corrida. “Eu gosto de caminhada e corrida, só que eu não tenho condicionamento físico nenhum. Se eu começo a correr, eu canso”, conta.
Daniela quer começar a correr para perder peso e, principalmente, sair do sedentarismo, adotar um estilo de vida mais saudável. “Quando eu faço exercício, eu fico mais disposta, até mesmo no meu trabalho ajuda. Eu trabalho com massoterapia, drenagem linfática, e carrego uma maca portátil que pesa mais ou menos 20 quilos. Andar daqui ali com aquilo, parar o carro longe para a casa das pacientes e tudo, já fico cansada”, revela a fisioterapeuta.
Daniela acredita que correr seria o melhor exercício. Mas será que é só querer e já sair correndo? Não é bem assim. “Dois minutos de corrida já é o suficiente para estar pedindo uma bomba de oxigênio, bem cansada”, declara.
Ela não é a única que acha difícil começar a correr. Pesquisadores do Instituto de Educação Física e Desportos da Universidade Estadual do Rio de Janeiro (UERJ) bolaram um teste. Para cada pessoa, existe um ritmo próprio.
Para descobrir qual deve ser a intensidade ideal do exercício que pretende fazer, Daniela será submetida a um teste que vai mostrar qual é a velocidade dela de transição da caminhada para a corrida.

 
O teste é simples e pode ser feito em qualquer esteira. Começa com um aquecimento, uma caminhada, em uma velocidade de cinco 5 km/h, durante dois minutos.
Depois do aquecimento, a velocidade sobe para 5,5 km/h. A partir daí, a cada 15 segundos, o ritmo aumenta em 0,1 km/h. Quando Daniela sentir que não está mais confortável caminhar depressa, ela vai ter que correr.
“Ela transitou a 6,3 km/h. Em termos práticos o que significa? Se ela caminhar além dessa velocidade, o estresse ortopédico vai ser muito grande, a fadiga vai ser muito grande, e muito provavelmente ela não vai conseguir passar de 5 a 10 minutos”, diz o professor de educação física Walace Monteiro, da UERJ.
“Quando a pessoa está mal condicionada, está um pouco acima do peso, ela não deve começar correndo. Ela não aguentaria correr muito tempo. A probabilidade de lesão seria maior e a sensação de cansaço, o estresse que o exercício provoca não são nada prazerosos”, aponta o pesquisador.
Daniela deve caminhar pelo menos 20 minutos e, no mínimo, três vezes por semana antes de começar a correr. Mas a fisioterapeuta não tem esteira e nem frequenta academia. Ela caminha ao ar livre, perto da casa dela, na Lagoa Rodrigo de Freitas, Zona Sul do Rio de Janeiro. E isso não é impedimento para acertar o passo e encontrar o ritmo certo.

 
Mas como Daniela vai usar as informações que descobriu na caminhada dela no laboratório na pista ao ar livre? “Na realidade, nós vamos dar uma caminhada. Vamos começar bem lento e vamos aumentar a velocidade para identificar o ponto exato onde ela passa da caminhada para a corrida”, explica o professor de educação física Walace Monteiro, da UERJ.
Na rua, o teste é mais rápido. É só ir aumentando a velocidade da caminhada até o momento em que é necessário correr. Neste ritmo, Daniela vai perceber as mudanças provocadas pelo condicionamento físico. Mais disposição e menos esforço. Vai chegar um momento em que o grau de cansaço na caminhada entra em queda, dia após dia.
“É nesse ponto em que você pode começar a introduzir a corrida, bem lentamente, durante 30 segundos, e volta a caminhar por dois minutos, na mesma velocidade. Depois, você vai invertendo um pouco. Você vai caminhar um minuto e corre um minuto até chegar a um determinado ponto em que você vai correr mais do que caminhar. quando você conseguir fazer isso por uns dez minutos, você está pronta para aumentar um pouquinho a sua velocidade. E daqui a uns meses, você está correndo a lagoa inteira, 7,5 quilômetros”, declara o professor de educação física da UERJ.
http://g1.globo.com/globo-reporter/noticia

IMAGEM REVELA COMO O CÉREBRO É ORGANIZADO

Esqueça aquela ideia de que "o lado direito do cérebro faz assim" e o "lado esquerdo do cérebro faz assado". Um estudo publicado nesta quinta-feira (29) pela revista “Science” mostra que o cérebro humano não tem "lados" nem é isolado na hora de realizar tarefas. Ele é todo interligado e não existem áreas específicas para funções específicas.
O mesmo padrão de organização foi observado no cérebro humano e também no de macacos. Segundo os pesquisadores, os sinais que correm pelo cérebro se ordenam em uma estrutura tridimensional, como uma "grade curvada". Em resumo, o cérebro não é um emaranhado de fios separados, mas uma rede interligada.


 “A velha imagem do cérebro como um emaranhado com milhares de fios separados e desconectados não fazia sentido do ponto de vista evolutivo”, afirmou Van Wedeen, autor do estudo, em material de divulgação do Hospital Geral de Massachusetts, nos EUA, onde ele trabalha.
“Como a seleção natural levaria cada um destes fios a configurações mais eficientes e vantajosas? A grande simplicidade desta estrutura em grade é o motivo pelo qual ele [o cérebro] consegue acomodar as mudanças aleatórias e graduais da evolução”, concluiu o pesquisador.
http://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2012/03/estudo-mostra-como-o-cerebro-e-organizado.html

terça-feira, 27 de março de 2012

A FÁBULA DAS TRÊS ÁRVORES


A tradicional fábula das três árvores é recontada, na forma de enquete teatral. Falando de sonhos e frustrações.
As três árvores ganham sentimentos, vozes e expõem seus sentimentos, um narrador faz as ligações...
 NARRADOR: Havia, no alto de uma montanha, três pequenas árvores que brincavam de sonhar o que seriam quando fossem grandes. A primeira arvorezinha, olhando para as estrelas que brilhavam sobre ela como diamantes, disse:
PRIMEIRA ÁRVORE: - Eu quero guardar em mim um tesouro. Quero ser revestida de ouro e ficar cheinha de pedras preciosas. Quero ser o baú mais lindo do mundo.
NARRADOR:A segunda arvorezinha olhou para frente e, vendo um córrego que deslizava para o oceano, desejou coisas grandiosas:
SEGUNDA ÁRVORE: - Quero navegar por mares imensos e transportar reis e rainhas. Quero ser o navio mais forte do mundo!
NARRADOR: A terceira arvorezinha olhou para baixo, para um vale, onde homens e mulheres trabalhavam atarefadamente e disse:
TERCEIRA ÁRVORE: - Eu quero ficar no alto desta montanha. Quero ser a árvore mais alta do mundo! Quero crescer tanto que todas as pessoas, que olharem para mim, levantarão os olhos para o céu e pensarão em Deus.
NARRADOR: Passaram-se anos. Entre chuvas, ventos e muito sol, as arvorezinhas ficaram grandes. Certo dia, três lenhadores, com olhos nada ecológicos, subiram a montanha com seus machados.
O primeiro lenhador olhou para a primeira árvore e exclamou:
1. LENHADOR: - Que linda árvore!
NARRADOR: Com um golpe de seu machado reluzente derrubou a árvore mais linda da montanha.
1 - ÁRVORE: - Agora vou realizar meu sonho. Serei transformada num lindo baú e guardarei, em mim, maravilhoso tesouro.
NARRADOR: O segundo lenhador olhou para a segunda árvore e disse:
2. LENHADOR: - Esta árvore é forte. É perfeita para os meus planos.
NARRADOR: Com um golpe de seu reluzente machado, derrubou a árvore mais forte da montanha.
2. ÁRVORE: - Agora vou navegar por imensas águas, transformada num luxuoso navio, para transportar reis e rainhas.
NARRADOR: A terceira, agora sozinha, sentiu um aperto no coração quando o último lenhador                olhou para ela. Estava em pé e apontava para o céu. Mas o lenhador nem olhou para cima.
3. LENHADOR: - Qualquer tipo de árvore serve para mim!
NARRADOR: Com um golpe de seu reluzente machado, derrubou a árvore mais alta da montanha.
A primeira árvore pulou de alegria quando o carpinteiro a arrastou para a oficina. Estava pronta para ser aquilo que sempre sonhou ser. Mas o rude carpinteiro rapidamente a transformou em cocho para animais. A árvore, que sonhava-se revestida  de ouro e repleta de tesouros, ficou coberta de serragem e cheia de feno.
A segunda árvore sorriu quando o lenhador a levou para o estaleiro. Esperou, mas nenhum veleiro foi construído naquele dia. Para sua tristeza, foi serrada em tábuas e virou um simples barco de pesca. Fraco e pequeno demais para navegar em mares, o barco foi levado para um pequeno lago. Todo santo dia voltava trazendo cargas de peixe cheirando à maresia.
A terceira árvore ficou confusa quando o lenhador a cortou em grossas vigas e a colocou num depósito.
3. ÁRVORE: - O que aconteceu? Tudo o que sempre quis foi ficar no alto da montanha e apontar para Deus. Por que, agora, esse depósito escuro?
NARRADOR: Dias e noites sem conta se passaram. As três árvores esqueceram completamente    seus sonhos. Mas, certa noite, uma estrela derramou sua luz sobre a primeira árvore quando   uma jovem mulher colocou seu bebê no cocho.
JOSÉ: - Gostaria de poder fazer um berço para ele.
NARRADOR: A mãe apertou a mão dele e sorriu, enquanto a luz da estrela brilhava sobre a madeira lisa e robusta.
MARIA: - Essa manjedoura é linda!
NARRADOR: E, de repente, a primeira árvore se apercebeu de que estava contendo o maior tesouro do mundo.
Num fim de tarde, um viajante cansado e seus amigos entraram no barco de pesca. O viajante adormeceu, enquanto a segunda árvore navegava silenciosamente lago adentro.
Sobreveio uma tempestade com trovões e relâmpagos. O pequeno barco estremeceu. Ele sabia que não teria forças para transportar, com segurança, tantos passageiros vencendo a fúria do vento e da chuva.
O homem cansado acordou. Levantou-se, ergueu sua mão e disse “Paz!” A tempestade parou tão rapidamente como começou.
E, de repente, a segunda árvore se apercebeu de que estava transportando o rei do céu e da terra.
Na manhã de uma sexta-feira, a terceira árvore espantou-se quando suas vigas foram puxadas da esquecida pilha de lenha. Assustou-se quando foi carregada através de uma multidão enfurecida e gozadora. Estremeceu quando soldados pregaram as mãos de um homem em seu lenho. Neste momento sentiu-se feia, agressiva e cruel.
Mas, na manhã de domingo, quando o sol nascia e a terra vibrava com tanta luz, a terceira árvore percebeu que o amor de Deus havia mudado as coisas.
A primeira árvore ficou ainda mais linda.
A segunda árvore ficou ainda mais forte.
A terceira árvore ficou ainda mais contente, porque todas as pessoas que se lembrassem dela pensariam em Deus. Esta mudança, sem dúvida, foi mil vezes melhor do que ser apenas a árvore mais alta do mundo.

Governo do Estado encaminha Projeto de Lei que trata do aumento salarial dos professores

Governadora Rosalba Ciarlini encaminha Mensagem ao presidente da Assembléia Legislativa do Rio Grande do Norte, Ricardo Motta, com Projeto de Lei Complementar que reajusta os vencimentos básicos dos cargos públicos de provimento efetivo de Professor e de Especialista de Educação do Quadro Funcional do Magistério Estadual.

Na Mensagem do gabinete do Governo do Estado de nº 34 de 27 de março de 2012, a governadora Rosalba Ciarlini chama a atenção da Assembléia Legislativa para a importância da valorização profissional do trabalho do Educador da rede estadual de Ensino.

"Impõe-se notar que o fiel desempenho de tão honroso mister pelos profissionais de Educação do Rio Grande do Norte merece receber a devida valorização, por parte do Poder Público, mediante a melhoria das correspondentes condições de trabalho e, em especial, de sua situação remuneratória", dia a mensagem governamental.

O reajuste, que estabelece um aumento de 22,22% para os professores e especialistas em Educação da rede estadual de Ensino, e que garante também o pagamento do Piso Nacional do Magistério, passa a vigorar com efeitos financeiros retroativos a 1º de março de 2012.

Em seu artigo 1º, o Projeto de Lei Complementar define que o reajuste beneficia aos professores e especialistas em Educação, com jornada de trabalho de 30 horas semanais, que estejam em pleno desempenho de suas funções no âmbito da Secretaria Estadual da Educação, das Escolas Estaduais, e das Diretorias Regionais de Ensino (DIREDs).

No parágrafo 3º do artigo 1º do Projeto de Lei Complementar está estabelecido que os vencimentos básicos dos cargos públicos de provimento efetivo de Professor e de Especialista de Educação com jornada de trabalho diversa de 30 horas semanais terão seus reajustes calculados de forma proporcional com base no valor da hora aula.

O Projeto de Lei Complementar define também que os titulares dos cargos públicos de provimento efetivo de Professor e de Especialista de Educação que não satisfaçam a condição prescrita em seu artigo 1º, parágrafo 1º, continuarão recebendo seus respectivos vencimentos básicos sem a aplicação deste novo reajuste salarial.

Pagamento de Inativos

Os professores e especialistas de Educação inativos receberão o aumento salarial de 22,22%, de acordo com o estabelecido no Projeto de Lei Complementar, em quatro parcelas. A 1ª parcela com efeitos financeiros vigorando a partir de 1º de abril de 2012. A 2ª parcela com efeitos financeiros vigorando a partir de 1º de junho de 2012. A 3ª parcela com efeitos financeiros vigorando a partir de 1º de agosto. A 4ª parcela com efeitos financeiros a partir de 1º de outubro de 2012.

As despesas decorrentes da implementação do reajuste salarial proposto pelo Projeto de Lei Complementar ficarão por conta de dotações da Lei Orçamentária Anual consignadas em favor da Secretaria de Estado da Educação e da Cultura.
http://www.educacao.rn.gov.br/contentproducao/aplicacao/seec/imprensa/enviados/noticia_detalhe.asp?nCodigoNoticia=30474

sexta-feira, 23 de março de 2012

ORAÇÃO

ESCOLA ESTADUAL ANTONIO CARLOS

O Que Você pode fazer para Mudar o Mundo?


Comece mudando a si mesmo. Ninguém muda o mundo se não consegue mudar a si mesmo ... Cuide da Saúde do Planeta. Não desperdice água, não jogue lixo no lugar errado, não maltrate os animais ou desmate as árvores. Por mais que você não queira, se nascemos no mesmo planeta, compartilhamos com ele os mesmos efeitos e conseqüências de sua exploração ... Seja responsável: não culpe os outros pelos seus problemas, não seja oportunista, não seja vingativo. Quem tem um pouquinho de bom senso percebe que podemos viver em harmonia, respeitando direitos e deveres ... Acredite em um mundo melhor. Coragem, Honestidade, Sinceridade, Fé, Esperança são virtudes gratuitas que dependem de seu esforço e comprometimento com sua Honra e Caráter. Não espere recompensas por estas virtudes, tenha-as por consciência de seu papel neste processo ... Tenha Humildade, faça o Bem, trabalhe. Não tenha medo de errar, com humildade se aprende, fazer o bem atrairá o bem para você mesmo e trabalhando valorizarás o suor de teu esforço para alcançar seus objetivos ... Busque a Verdade, a Perfeição, uma posição realista frente aos obstáculos, uma atitude positiva diante da vida... Defenda, participe, integre-se à luta pacífica pela Justiça, Paz e Amor. Um mundo justo é pacífico, e onde há paz pode-se estar preparado para viver um grande Amor ...
http://www.otimismoemrede.com/o-que-voce-pode-fazer-para-mudar-o-mundo.html

RESUMO DA MATEMÁTICA NO ENEM

Desde o princípio da aplicação do ENEM, ocorreram alterações no exame, e a mais evidente é a mudança do nome das matrizes dos conteúdos. A partir dela, as perguntas, antes agrupadas em disciplinas, passaram a ser separadas por grandes áreas. Questões sobre as disciplinas de História, Geografia, Filosofia e Sociologia são elencadas na área de Ciências Humanas; as de Biologia, Física e Química, na área de Ciências da Natureza; e as disciplinas de Português, Literatura, Línguas, Artes e Educação Física, na área de Linguagens e Códigos.

Mas e a Matemática, onde foi parar? Ela possui uma área destinada somente para ela: Matemática e suas Tecnologias. Esta área abarca 45 questões do exame e, de acordo com o MEC, compreende sete competências, que devem ser trabalhadas no decorrer do Ensino Médio. Vale ressaltar que mesmo a Matemática tendo uma área destinada a ela, ainda assim ela tem grande presença nas outras áreas, em forma de gráficos e tabelas, dados estatísticos, expressões e fórmulas que representam fenômenos.

Estas competências podem ser verificadas no edital do ENEM. Elencaremos aqui as competências relacionadas à área de Matemática e suas Tecnologias:

• Construir significados para os números naturais, inteiros, racionais e reais;

• Utilizar o conhecimento geométrico para realizar a leitura e a representação da realidade e agir sobre ela;

• Construir noções de grandezas e medidas para a compreensão da realidade e a solução de problemas do cotidiano;

• Construir noções de variação de grandezas para a compreensão da realidade e a solução de problemas do cotidiano;

• Modelar e resolver problemas que envolvem variáveis socioeconômicas ou técnico-científicas, usando representações algébricas;

• Interpretar informações de natureza científica e social obtidas da leitura de gráficos e tabelas, realizando previsão de tendência, extrapolação, interpolação e interpretação;

• Compreender o caráter aleatório e não determinístico dos fenômenos naturais e sociais e utilizar instrumentos adequados para medidas, determinação de amostras e cálculos de probabilidade para interpretar informações de variáveis apresentadas em uma distribuição estatística.


Analisando cada uma dessas competências, vemos que a prova de matemática trata-se de uma avaliação totalmente contextualizada e interdisciplinar. Em outras palavras, a disciplina deixou de ser um instrumento voltado somente para a matemática, passando a ter sua aplicabilidade em situações sociais. Para isso, a prova exige uma capacidade que vai além do conteúdo, fazendo com que o aluno desenvolva um raciocínio lógico acerca dos problemas levantados nas questões.

Sendo assim, fica evidente o principal objetivo do ENEM, que é o de reformar o Ensino Médio, mudando a forma como os colégios abordam o seu ensino, atualmente voltado para vestibulares que focam apenas o conteúdo. Ou seja, o ENEM busca promover uma avaliação que incentive os colégios a abandonarem esta educação conteudista, para que assim possam ser formados alunos que compreendam os fenômenos, resolvam problemas e desenvolvam um raciocínio lógico por meio de reflexões acerca destas competências.

quinta-feira, 22 de março de 2012

NOTA DE PESAR

Em nome de todos que fazem a Família Antonio Carlos, as Gestoras Escolar Maria da Conceição Gurgel Araruna e Maria Luzineide de Almeida, lamentam com profundo pesar, o falecimento da MARINETE FERREIRA SALES, irmã de Raimunda Ferreira Freire, Diretora da 13ª DIRED, Apodí - RN, transmitindo sentimentos de pesar e se solidariza com a família nesse momento de dor e tristeza.


MARIA DA CONCEIÇÃO GURGEL ARARUNA
DIRETORA


MARIA LUZINEIDE DE ALMEIDA
VICE - DIRETORA

sábado, 17 de março de 2012

OLIMPÍADA BRASILEIRA DE LÍNGUA PORTUGUESA


As inscrições para a terceira edição da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro começam em 19 de março e vão até 25 de maio. As inscrições serão feitas na página eletrônica Comunidade Virtual, criada para a Olimpíada de Língua Portuguesa, e que estará disponível na internet na segunda-feira, 19.
O objetivo da Olimpíada de Língua Portuguesa Escrevendo o Futuro é contribuir para a melhoria do ensino da leitura e escrita nas escolas públicas brasileiras. Para isso, busca-se:
promover a reflexão sobre o ensino da leitura e escrita, articulando teoria e prática;
sistematizar e disseminar conhecimentos sobre o ensino da escrita na perspectiva da teoria de gênero;
aperfeiçoar o ensino da leitura e da escrita — a partir de seu uso — como prática social;
apoiar e capacitar educadores para mediar, junto aos professores, o ensino da leitura e da escrita;
promover a ampliação de situações de letramento nas salas de aula;
valorizar o conhecimento produzido pelos diferentes públicos envolvidos com a Olimpíada, conferindo-lhes visibilidade;
identificar, desenvolver e irradiar práticas reconhecidas de ensino da escrita e leitura.

quinta-feira, 15 de março de 2012

HOMENAGEM DE ILTON GURGEL AO ANIVERSÁRIO DA ESCOLA ANTONIO CARLOS- CARAÚBAS/RN.

I

A Escola Antonio Carlos
Faz o seu aniversário
Fazendo cento e três
Já passou co centenário
Escola que considero
Excelente educandário.
II
Vemos no dicionário
Esta palavra bonita
Que é muito esperada
Toda pessoa cogita
Comentar sobre a Escola
Eu peço que me permita.
III
Nela a gente acredita
Pela sua tradição
A Escola Antonio Carlos
Pra nossa educação
É prova de um exemplo
Com total aprovação.
IV
Ela é toda razão
Do nosso grande motivo
De poder acreditar
Pelo jeito expressivo
De educar o aluno
Dando grande incentivo.
V
Considero exclusivo
A maneira que ensina
Aprendizado pra vida
Em toda a disciplina
Motivo de um orgulho
Na região nordestina.
VI
Ela que tanto fascina
Por isso que dou valor
O seu quadro de trabalho
Feito com muito amor
É um empenho total
Do aluno ao Professor.

VII
Todo o seu servidor
Trabalha com alegria
A tarefa executada
É feita com euforia
Por isso que na Escola
Tanto a gente confia.
VIII
Esbanja a energia
Na sua atividade
Com um trabalho concreto
E sua capacidade
Presta serviços a todos
Conforme necessidade.
IX
E na atualidade
O futuro já chegou
Com o que há de moderno
Ela já se equipou
Ensino de qualidade
Que então se preparou.
X
Tanto serviço prestou
E ainda vai prestar
A todos que a procuram
Quem dela solicitar
Num real objetivo
O aluno educar.
XI
Ela sabe ensinar
De modo especial
Para o nosso futuro
Um bom profissional
Por que no seu quadro tem
Só intelectual.
XII
A Escola Estadual
É a nossa referência
Por nome Antonio Carlos
Tem muita experiência
Parabéns por mais um ano
Desta sua existência.

Brasília-DF, 15.03.2012.
Ilton Gurgel, poeta.

FELIZ ANIVERSÁRIO E.E.ANTONIO CARLOS

Escola se faz com PROFESSORES que ensinam e ALUNOS que aprendem; FUNCIONÁRIOS que se doam, compartilham, duvidam, acreditam, realizam e se respeitam; PAIS que participam e colaboram, escola se faz com uma comunidade solidária, unida e com objetivos comuns. É assim que a história da Escola Estadual Antonio Carlos vem sendo construída ao longo dos seus 103 anos, hoje referência pela qualidade do ensino que oferece e das ações que desenvolvem em prol de uma sociedade mais justa e igualitária. PARABÉNS a todos nós que fazemos e aos que fizeram a história dessa conceituada instituição de ensino. Nossos agradecimentos aos funcionários, ex-funcionários; pais, ex- pais; alunos, ex-alunos por  ajudarem a fazer a história da nossa escola. Família Antonio Carlos.
 
E.E. Antonio Carlos - antes